terça-feira, 17 de julho de 2018

O ROCK INDEPENDENTE BRASILEIRO (PARTE 34)











Casa da Mata





















Com um rock calcado nos anos 1970 e suas múltiplas possibilidades de revisitação pelo blues e soul, a banda é de Arapiraca-AL, mas não se limita a dizer que é apenas de lá: é do mundo, é sem porteiras.Decerto, a Casa da Mata simboliza também a liberdade em suas composições, as quais não seguem padrões quaisquer. As influências vão desde Zé Ramalho a Led Zeppelin, do jazz à música erudita, do chirriar da coruja até o balido das ovelhas sem dono.

A Casa da Mata fez o lançamento do primeiro álbum (homônimo) da banda, no teatro Hermeto Pascoal, em Arapiraca, bairro de Santa Edwiges. A banda de Maceió Messias.

Poeta e contrabaixista, compositor e vocalista da trupe arapiraquense, Breno Airan diz está “tudo nos conformes”. “O som ao vivo sempre vem de maneira muito orgânica. Depende muito da vibração e da frequência em que estamos”, explica Airan, avisando que “é assim nos ensaios e é assim nos shows”.




























“A gente procura esquecer o que há aqui fora para poder entregar ao público o melhor de nós no palco, funcionando meio que como um espelho. Também captamos o que vem de quem assiste. É sempre uma experiência nova, sempre.”

O álbum homônimo da Casa da Mata é intenso, remetendo ao rock visceral dos anos 1970
O álbum, disponível no Youtube, é pedrada, tocado e cantado com uma intensidade de quem abraça a causa – ou seja, o rock dos anos 1960 e 1970, entre o hard e o psicodelismo, com uma sonoridade brasileira que remete mesmo aos anos 1970, de bandas como Som Nosso de Cada Dia e O Peso – esta última, liderada pelo vocalista cearense Luiz Carlos Porto, aparentemente eles nem ouviram... Mas cantam muito parecido, coincidência?

Divide os vocais com Breno Airan o também compositor (guitarrista e violonista) Alan Lins. Ambos cantam muito e o som da banda vai pegando no peso e no vozeirão desses dois. Completam o time Nardel Guedes (guitarras e violões) e Ayrton Bispo, que substituiu Wilson Silva na bateria.


























A convidada Messias Elétrico, nas palavras de Breno Airan, “é uma grande trupe de músicos”. “A gente considera muito”, diz o líder da Casa da Mata. “Gostamos deles mesmo, tanto no âmbito pessoal como profissional. Não à toa eles estão dividindo esse momento com a gente, tocando aqui em Arapiraca pela primeira vez, praticamente de graça já que o espetáculo vai ser aberto ao público. Só pela conexão. Isso é muito caro, muito valioso para nós.”


























Airan conta que, quando começaram a fazer os primeiros shows, “no finalzinho de 2014”, andava “meio desconfiado” e não queria cantar. “Queria apenas tocar baixo. Mas as coisas foram fluindo e meus quereres fluíram junto”, confessa. “As composições são de todos da banda. Por isso, essa Casa é realmente muito bem estruturada. Cada parede tem sua função estética e também de sustentação. Cada um tem um estilo e uma abordagem e isso acaba somando muito nesse caldeirão de influências que acabamos por nos tornar. Não temos um norte certo. E isso é liberdade.”
Fonte: http://alagoasboreal.com.br/

Discografia

Casa da Mata (2017)

































The Basement Tracks

























Com seu EP de estreia os mineiros do The Basement Tracks trazem à cena musical brasileira uma tentativa honesta - e, diga-se de passagem, muito bem-sucedida! - de criar o que se poderia chamar de rock sensorial.

Moldando praticamente uma experiência sinestésica a partir de diferentes camadas e texturas sonoras, o som da banda evoca a psicodelia dos anos 60 e a obscuridade dos anos 80 - por exemplo, os experimentalismos da carreira solo do guitarrista John Frusciante (ex-Red Hot Chili Peppers), que têm essas nuances, vêm à mente ao ouvir o single "Ocean's Son", por exemplo.


























Contudo, que não se pense que a banda - formada por Victor Fonseca (guitarra e vocal), Ruan Lustosa (guitarra), Rodrigo Baumgratz (baixo), Lucas Duarte (bateria) e Ruy Alhadas (teclado) no ano de 2011 em Juiz de Fora - não imprime originalidade e personalidade a seu trabalho; conforme vocês podem conferir no single supracitado, o som dos caras é uma novidade muito bem-vinda à cena musical alternativa brasileira.
Fonte: http://www.femalerocksquad.com

Discografia

Songs from the Orange (2017)

































Jogo Sujo

























Uma nova fase chegou para a banda gaúcha Jogo Sujo em 2017: o primeiro álbum da banda Embriagado de Amor. O disco é uma homenagem ao que os caras acham que está faltando no mundo: o amor.


























Canções que nasceram da vontade de falar sobre os relacionamentos pouco intensos e vidas imersas na rotina. Partindo de vivências pessoais e olhares da banda sobre o mundo, surgiu o tema amor.

A pegada romântica que envolve o álbum flerta com inspirações da estética vintage como os embalos da Jovem Guarda e do pop sessentista, mas também traz timbres e riffs modernos do rock atual. 


























Formada em 2007, foram 10 anos de estrada no mercado da música e um mergulho em novos caminhos para gravar o disco de estreia. O trabalho foi gravado, mixado e masterizado nos estúdios da Marquise 51 e tem assinatura do produtor musical, Lucas Hanke, que já trabalhou com bandas como Jupiter Maçã, Os Replicantes e Identidade & Beto Silva.
Fonte Site Oficial

Formação
Jacson Strapazzon - Baixo
Marcio Moraes - Vocal/Guitarra
Matheus Carrer - Bateria
Alex Reck - Guitarra

Discografia

Embriagado de Amor (2017)

































domingo, 15 de julho de 2018

RITA LEE & TUTTI FRUTTI E TIBET (HISTÓRIAS DO ROCK NACIONAL)

Rita Lee & Tutti Frutti





















Há tempos queria fazer uma postagem sobre a banda Tutti Frutti, que para mim foi uma banda subestimada e até um pouco ofuscada pelo ícone Rita Lee. Rita Lee teve uma carreira brilhante, uma discografia rica e depois de sua estreia nos Mutantes nos anos 60, juntou uma turma do barulho, mais ligada ao Hard Rock do quê aquela onda progressiva dos anos 70. 

Tutti Frutti é uma banda brasileira de rock, formada no início dos anos 70 por músicos do bairro da Pompeia, em São Paulo. Entre 1973 e 1978, liderada pelo guitarrista Luis Sérgio Carlini, a banda foi o grupo de apoio de Rita Lee, após a saída da cantora dos Mutantes. Com ela tornaram-se um dos grandes nomes do rock brasileiro na década de 70 e gravaram várias músicas de sucesso nacional, como Agora Só Falta Você, Esse Tal de Roque Enrow, Ovelha Negra, Corista de Rock, Miss Brasil 2000 e Jardins da Babilônia. A banda ainda continuaria sua carreira com um novo vocalista, mas encerraria suas atividades em 1981. Voltaram em 2007 com nova formação e apresentam-se de forma errática até os dias de hoje.
























Início

Tudo começou em 1971, no bairro da Pompeia, na capital paulista. Três amigos de origem italiana, o guitarrista Luis Sérgio Carlini, o baixista Lee Marcucci e o baterista Emilson Colantonio, formaram uma banda para tocar rock chamada Coqueiro Verde. No ano seguinte, após alguns shows em pequenas casas noturnas e, também, devido a influência das substâncias químicas bastante em voga na época (como o ácido lisérgico), a banda trocaria seu nome para Lisergia. Tocando na noite paulista, e com Carlini já sendo notado pela sua qualidade como guitarrista, acabaram sendo vistos por Rita Lee.

Rita havia deixado Os Mutantes em outubro de 1972 e tinha de montado uma dupla feminina com Lúcia Turnbull, o Cilibrinas do Éden, e a primeira apresentação da dupla acabou sendo no primeiro dia do festival Phono 73. Por um acaso, sua apresentação acabou ocorrendo logo antes da apresentação dos Mutantes. Com a recepção fria do público ao seu projeto acústico, Rita Lee decidiu que precisava de um grupo de rock para acompanhá-las. A "descoberta" da banda por Rita acabou levando a um convite para que eles passassem a ser a banda de apoio dela. 

























Rita Lee & Tutti Frutti


Apesar de ter gostado da banda, Rita não gostava do nome.  A busca por um novo nome para a banda acabou tendo fim quando Rita e sua empresária Mônica Lisboa montaram um show, que ficaria em cartaz no Teatro Ruth Escobar, em São Paulo, de 15 de Agosto até 16 de Setembro de 1973, para o lançamento da nova carreira da primeira. O nome do show era "Tutti Frutti", porque contava com toda uma parafernália que era usada durante o show: projeção de slides, super-8, luzes coloridas, etc. A ideia inicial era lançar um disco ao vivo com as apresentações no teatro, mas a PolyGram, gravadora de Rita Lee, vetou a ideia.

Com a saída de Turnbull no ano seguinte, a substituição de Colantonio na bateria por Franklin Paolillo, a entrada de Paulo Mauricio nos teclados e a troca de gravadora de Rita, da Phillips para a Som Livre, a banda gravou com ela alguns de seus maiores sucessos, como Bandido Corazón, Mamãe Natureza, Miss Brasil 2000, Agora Só Falta Você, Esse Tal de Roquenrou e Ovelha Negra, do disco Fruto Proibido, disco considerado obra-prima de Rita - e que a edição brasileira da revista Rolling Stone considera o 16º melhor disco brasileiro de todos os tempos em qualquer gênero - cujo solo final de Carlini é a marca registrada da música até os dias de hoje.

O registro do show de Rita Lee & Tutti Frutti no "Hollywood Rock" de 1975, pode ser visto no documentário Ritmo Alucinante, do mesmo ano.

Tutti Frutti

Em 1978, já com Roberto de Carvalho integrando a banda como tecladista, Carlini resolve deixar o grupo, insatisfeito com sua posição secundária na banda - ele era o autor de várias músicas com Rita - e leva consigo o nome, registrado por ele desde 1973, formando então um novo grupo com o mesmo nome, com o vocalista Simbas, ex-Casa das Máquinas, o baixista Walter Balot e o baterista Juba Gugel, enquanto seu parceiro e cofundador do Tutti Frutti original, Lee Marcucci, continuou com Rita.

























A nova banda continuou com shows e um novo disco próprio da gravadora Capitol, que, demorando a ser lançado, graças a uma música censurada e que a banda queria que constasse dele de qualquer maneira, não fez sucesso. A banda terminou no começo dos anos 80.






























Em 1997, retornaram aos palcos por 10 anos com a cantora Helena Theodorellos, o baixista Mr. Ruffino, Franklin Paolillo na bateria e Ronaldo Bebeuz nos teclados. Esta formação fez muito sucesso na noite paulistana e várias turnês pelo país, terminando em 2007 com a saída de Helena Theodorellos.  Atualmente a banda continua na ativa com a cantora Sol Ribeiro. Há alguns anos, Carlini tem feito pequenos shows e gravações com ex-integrantes do Tutti Frutti, como Marcucci e Franklin Paolillo, ensaiando uma nova volta, ainda não concretizada.



Discografia

Atrás do Porto Tem uma Cidade (1974)
























Fruto Proibido (1975)
























Entradas e Bandeiras (1976)























Babilônia (1978)
























Ao Vivo

Hollywood Rock ( Álbum ao vivo, lançado somente em LP, e dividido com Erasmo Carlos, O Peso e Raul Seixas) (1975)
























Refestança (com Gilberto Gil) (1977)
























Tutti Frutti

Você Sabe Qual o Melhor Remédio (1980)
























Participação

1980 - Tibet (álbum da cantora de mesmo nome)

Participações em Videos

2007 - Biograffiti - Rita Lee (Box Com 3 DVD's De Rita Lee , sendo que a banda participa no DVD "Ovelha Negra")
Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre.






TIBET (ELIZABETH QUEIROZ) & TUTTI FRUTTI - PERDIDOS NO BAÚ DA HISTÓRIA

























Veterana no rock brasileiro, Tibet atua intensamente na cena desde o final dos anos 70, onde cantou com bandas conhecidas como Made In Brazil e Tutti Frutti com quem gravou seu primeiro disco solo pela RCA Victor em 1980. 


Montou o AJNA em 1990, com uma sonoridade bem mais pesada, aderindo para uma veia mais metal com vocais de drives rasgados, estreando no Dama Xoc, em São Paulo. Com uma extensa bagagem cultural e musical, Tibet foi editora chefe, juntamente com André Cagni, de uma das mais importantes revista de rock dos anos 90, Revista Dynamite.

Durante 8 anos participou de produções e eventos em lugares conceituados como Dama Xoc, Aeroanta, Black Jack, Dynamo e Brittânia, produzindo eventos badalados como Rock Contra AIDS I, II e III e todas as Festas da Revista Dynamite entre outras, além do programa de rádio Demoterapia na 97FM, na década de 90.

Já foi backing vocal da banda Made In Brasil em dezenas de shows e com eles deixou o registro de sua voz no álbum made in Blue, trabalhou também com Lannie Dale no grupo Dzi Croquettes e foi praticamente a fundadora da Revista Dynamite, depois de trabalhar na casa noturna Dynamo, onde foi assessora de imprensa. Continua trabalhando nos bastidores do mundo rock como editora chefe no projeto " Quem sabe faz autoral" na Flix TV, e é a fundadora e a voz da banda trash metal AJNA dos anos 90 que foi recentemente reformulada, além de ser uma mulher encantadora e super influente em toda cena rock n roll paulistana. Se não bastasse tudo isso ela é também psicóloga, escritora e exotérica. 

Discografia com Tutti Frutti

Tibet
















segunda-feira, 2 de julho de 2018

BILLIE HOLIDAY - BIOGRAFIA (DICA DE LIVRO)



Não é novidade eu dizer que gosto de biografias aqui no blog, ainda mais se tratando de música, por isso minha dica é de um livro que li já algum tempo atrás e ontem ao ouvir na cama antes de dormir uma coletânea de Billie Holiday, me dei conta de dar essa ótima dica: Billie Holiday uma biografia de Sylvia Fol lançada em formato de livro de bolso (adoro esse formato), pela editara L&PM, da série BIOGRAFIAS L&PM POCKET

Negra, pobre, prostituída, vulnerável e com uma voz lânguida e vigorosa, Billie Holiday (1915-1959) - desde as ruas do Harlem até as mais prestigiosas salas de espetáculo - lutou a vida toda para se impor. Sexo, álcool, drogas, Lady Day queria experimentar tudo. Foi no palco, cantando músicas que se tornariam clássicos, que ela viveu a única experiência verdadeira do amor. Seu nome virou sinônimo de jazz, e sua vida - numa época em que a população dos Estados Unidos estava dividida entre brancos e negros - foi um caminho para a liberdade. 
Fonte: BIOGRAFIAS L&PM POCKET

"Ninguém canta como eu a palavra 'fome' ou a palavra 'amor'. Sem dúvida porque eu sei o que há por trás destas palavras."
(Billie Holiday)

sexta-feira, 4 de maio de 2018

SOUL MUSIC (PARTE 10) - MAIS TRÊS GRANDES NOMES DO ESTILO NA ATUALIDADE
































Leon Bridges

























Todd Michael "Leon" Bridges (nascido em 13 de julho de 1989) é um cantor, compositor e produtor musical de gospel e soul americano de Fort Worth, Texas . Ele é mais conhecido por sua música " Coming Home ", que recebeu airplay regular e também foi uma das 10 mais virais do Spotify . O primeiro álbum de Bridges, também intitulado Coming Home , foi lançado em 23 de junho de 2015, pela Columbia Records .

Bridges aprendeu violão tocando simples acordes para acompanhar suas letras. Enquanto trabalhava no Del Frisco's Grille em Fort Worth, ele tocou inúmeros lugares até que foi assinado pela Columbia Records em dezembro de 2014. Foi sua música "Lisa Sawyer", sobre a conversão de sua mãe, que definiu pela primeira vez seu estilo.























Bridges começou a escrever e tocar música estilo soul anos 50 e 60, descrita por Austin 360 como "uma transmissão direta do coração". Ele começou a atrair seguidores, e sua participação na indústria da música foi atribuída ao encontro com o guitarrista Austin Jenkins e Joshua Block of White Denim . Foi o desempenho de Bridges de " Coming Home " que chamou a atenção dos dois. Pontes trabalhou em suas primeiras faixas com Jenkins e Block como produtores. Eles gravaram um álbum com equipamentos vintage, usando músicos locais afiliados ao White Denim. Bridges lançou duas músicas demo no Soundcloud no final de 2014. "Coming Home" foi tocada em rádios locais, incluindo KKXT.  Ele atraiu a atenção de várias gravadoras com Bridges, que assinou com a Columbia Records em dezembro de 2014.


























Pontes e sua banda no Webster Hall , Manhattan em outubro de 2015 Bridges começou sua primeira turnê nacional em janeiro de 2015, fazendo shows no Texas e também apoiando Sharon Van Etten em Nova York . Seu primeiro single oficial, "Coming Home", foi lançado pela Columbia Records em fevereiro de 2015.  A canção continuou o sucesso da versão demo e se tornou o Top 10 Most Viral Track no Spotify no mesmo mês como o seu lançamento. Bridges excursionou com Jenkins e Block até que eles retomaram o trabalho com White Denim. Ele também tocou no Sundance Film Festival e tocou no festival SXSW em 2015.


























Seu álbum de estreia foi lançado no verão de 2015 e foi citado como o "Álbum de Olhar para a Frente para os Texanos" de 2015 pelo The New York Times . Bridges fez a capa da revista Fort Worth, Texas em maio de 2015 por suas realizações vocais e seu estilo retrô distinto. "Coming Home" é apresentado em um comercial da Apple iPhone.  Bridges fez sua primeira aparição no Reino Unido como artista em maio, quando ele vendeu o London Village Underground.  Ele passou a anunciar quatro datas de julho, terminando com um show no Shepherd's Bush Empire em 28 de setembro. Coming Home foi nomeado para Melhor Álbum de R & B no 58th Annual Grammy Awards .


























Além de seus próprios shows, Bridges também apoiou Pharrell Williams no Apple Music Festival em 26 de setembro. Ao abrir na íntima Roundhouse , ele foi capaz de tocar sucessos como "River", "Better Man" e "Lisa Sawyer" de sua álbum de estreia Coming Home . Bridges foi o convidado musical em destaque no Saturday Night Live em 5 de dezembro de 2015. Ele tocou " Smooth Sailin ' " com uma banda de backup completo, e cantou "River" apenas com cantores de apoio e órgão, acompanhando-se na guitarra.

Bridges também participou da música "Kevin", de Macklemore & Ryan Lewis , que foi lançada no segundo álbum da dupla. 


























No sábado, 8 de abril, Bridges foi o artista ao vivo apresentado no programa da BBC Radio London Robert Elms . Elms entrevistou Bridges brevemente, e tocou a faixa 8, "Pull Away", do álbum Coming Home . Leon foi criado para tocar ao vivo com Colin O'Brien. Juntos, eles realizaram uma versão ao vivo de "River". Após a faixa ao vivo, Elms pode ser ouvido para ser afetado emocionalmente pela performance. A faixa ao vivo foi tão bem recebida que foi tocada novamente como "faixa ao vivo da semana" no programa Elms Saturday em 9 de abril e novamente na segunda-feira 11 de abril [24] durante um programa nas melhores performances ao vivo no show de Robert Elms.


























A música "River" recebeu mais reconhecimento da série Big Little Lies de 2017 e também foi incluída na trilha sonora do show. 

Bridges será o show de abertura no lado sul-americano do primeiro Harry Styles Solo Tour em 2018.






















O estilo de Bridges é a alma que lembra o ritmo e o blues dos anos 1960. O Wall Street Journal descreveu-o como um "regresso aos anos 60 da alma à la Otis Redding e Sam Cooke ".  Bridges executa em roupas vintage ; Fort Worth Weekly descreveu-o como alguém cuja "música soa como ele parece".
Fonte: Wikipedia, the free encyclopedia

Discografia

Coming Home (2015)
























Good Thing (2018)




































Anderson East


































Michael Cameron Anderson (nascido em 17 de julho de 1988), conhecido profissionalmente como Anderson East, é um músico americano de R & B de Athens, Alabama, que atualmente vive em Nashville, Tennessee. Sua música "Satisfy Me" foi lançada em março de 2015 e recebeu uma transmissão de rádio consistente. Sua estreia nas grandes gravadoras, Delilah , foi lançada no Low Country Sound, pela gravadora Elektra em julho de 2015. 

East foi para a escola secundária de Atenas em Atenas, Alabama e escreveu sua primeira música, chamada "Brains", que ele tocou em um show de talentos da 7ª série. Inspirado pelo músico Ben Folds , East aprendeu piano e começou a escrever música no ensino médio. 


























Seu avô era um pregador batista, seu pai cantava no coro da igreja e sua mãe tocava piano na igreja quando ele era jovem. 

East freqüentou a faculdade em Murfreesboro, Tennessee, na Middle Tennessee State University, estudando para se tornar um engenheiro de música. Depois de completar seus estudos, ele se mudou para Nashville.

No estágio inicial de sua carreira, East abriu para Holly Williams e acabou tocando guitarra e cantando harmonias com ela. Ao mesmo tempo, ele trabalhou como músico de sessão, bem como engenheiro de gravação, para fornecer uma maneira de fazer face às despesas. 


























East iniciou sua carreira musical em 2009, lançando um álbum intitulado Closing Credits for a Fire, sob o nome de Mike Anderson. Ele então começou a gravar sob o nome Anderson East com o lançamento de um EP chamado Fire Demos. 

O álbum de estréia de East, Flowers of the Broken Hearted em 2012, era composto de dois discos: um disco gravado em Los Angeles com o produtor Chris Seefried e os músicos da sessão Charlie Gillingham , Don Heffington e Rob Wasserman , e um segundo gravado em Nashville com Tim Brennan e Daniel Scobey. O disco tem 15 músicas e é composto de dois CDs, cada um com seu próprio gênero musical: O disco White é composto de uma alma progressiva e vibe americana, enquanto o disco Red é mais escuro e tem mais som de rock . Ele financiou o registro como um projeto PledgeMusic, com uma porcentagem dos recursos indo para a Water Aid, uma organização sem fins lucrativos que leva água para as comunidades que não têm água potável.


























O álbum de estreia major do East, Delilah , foi lançado pela Low Country Sound , uma marca da Elektra em julho de 2015. Foi produzido por Dave Cobb ( Jason Isbell , Sturgill Simpson e Chris Stapleton ) e apresenta uma música de George Jackson gravada no lendário FAME Studios em Muscle Shoals, Alabama.


Em 2017, East apareceu no 50th Shades Darker Soundtrack , tocando a faixa "What Would It Take", que ele co-escreveu com Aaron Raitere. Esta trilha sonora em particular estreou no número um na Billboard 200 dos EUA . East também cobriu a canção "Josephine" de Brandi Carlile para ser incluída em seu álbum de caridade, Cover Stories .

Em 15 de agosto de 2017, East lançou o primeiro single do seu próximo álbum Encore, "All On My Mind", que ele subseqüentemente realizou em 13 de outubro de 2017, em uma aparição no The Ellen DeGeneres Show .
























East vive em Nashville, Tennessee. Em 28 de dezembro de 2015, Us Weekly e People confirmaram que East é a cantora country Miranda Lambert . Ele co-escreveu duas músicas ("Getaway Driver" e "Well-Rested") com Lambert para seu álbum de 2016, The Weight of These Wings , e ele fornece vocais de fundo em outra música dela chamada ("Pushin 'Time". ")
Fonte: Wikipedia, the free encyclopedia






















Discografia

Closing Credits for a Fire (2009)
























Flowers of the Broken Hearted (2012)
























Delilah (2015)
























Encore (2018)




































Raphael Saadiq

























Raphael Saadiq (nascido Charles Ray Wiggins) é um cantor, compositor, músico e produtor de discotecas americano. Ele produziu músicas para artistas como Joss Stone, D´Angelo, TLC, Kelis, Maria J. Blige, Ledisi, Whitney Houston, Solange Knowles e John Legend.

Ele e D'Angelo eram membros ocasionais do Ummah , um coletivo de produção musical, composto pelos membros Q-Tip e Ali Shaheed Muhammad de A Tribe Called Quest , e J Dilla do grupo de Detroit Slum Village . Ele também é co-fundador do desenvolvedor independente de videogames IllFonic .



O aclamado álbum de Saadiq, The Way I See It , lançado em 16 de setembro de 2008, apresentando os artistas Stevie Wonder, Joss Stone e Jay-Z, recebeu três indicações ao Grammy e foi eleito Melhor Álbum no iTunes de 2008. Seu quarto álbum de estúdio , Stone Rollin ' , foi lançado em 25 de março de 2011. Para o álbum, Saadiq trabalhou com o guitarrista de aço Robert Randolph ; o ex-tecladista da Earth, Wind & Fire, Larry Dunn ; O cantor de rock indie sueco-japonês Yukimi Nagano (da fama de Little Dragon ); o artista de funk Larry Graham (no bônus de bônus "Perfect Storm") e o recém-chegado de soul Taura "Aura Jackson" Stinson.

O crítico de música Robert Christgau chamou Saadiq de "proeminente artista de R & B dos anos 90".


























Saadiq nasceu em Oakland, Califórnia , o segundo mais novo de 14 irmãos e meio-irmãos.  Sua juventude foi marcada pela tragédia; Ele experimentou a morte de vários de seus irmãos quando criança. Quando Saadiq tinha sete anos, seu irmão foi assassinado. Um de seus irmãos teve uma overdose de heroína e outro cometeu suicídio porque não conseguiu lidar com seu vício em drogas. Sua irmã morreu em conseqüência de um acidente de carro durante uma perseguição policial em um bairro residencial. Saadiq afirma que ele não quer que sua música seja reflexiva das tragédias que ele experimentou, dizendo que "E através de tudo isso eu estava fazendo discos, mas não estava entrando na música. Eu fiz isso para mostrar pessoas que você pode ter algumas coisas difíceis acontecerão em sua vida, mas você não tem que usar isso na sua manga ". 

Ele toca violão desde os seis anos de idade,  e começou a cantar aos nove anos de idade em um grupo gospel local.  Aos 12 anos, ele se juntou a um grupo chamado "The Gospel Humminbirds". Em 1984, pouco antes de completar 18 anos, Saadiq ouviu falar de testes em San Francisco para a banda de apoio de Sheila E. na Prince 's Parade Tour . Na audição, ele escolheu o nome "Raphael", e teve dificuldade em lembrar de responder ao nome quando soube que tinha conseguido o papel de tocar baixo na banda. Ele conta sobre a experiência: "A próxima coisa que eu estava em Tóquio, em um estádio, cantando Erotic City. Estávamos em grandes locais com os maiores sistemas de som do mundo; todos esses roadies me jogando baixos. Um monte de modelos andando por Prince em festa. Por quase dois anos. Essa era a minha universidade.






































Depois de voltar para Oakland de turnê com Prince, Saadiq começou sua carreira profissional como vocalista e baixista no ritmo e blues e dance trio Tony! Toni! Tom! Ele usou o nome Raphael Wiggins enquanto estava em Tony! Toni! Toné !, junto com seu irmão Dwayne Wiggins e seu primo Timothy Christian. Em meados da década de 1990, ele adotou o sobrenome Saadiq, que significa "homem da palavra" em árabe. Sua mudança de sobrenome levou muitos a especular que ele havia se convertido ao islamismo naquele momento; Na verdade, Saadiq não é muçulmano, mas apenas gostava do jeito que "Saadiq" soava e mudava seu sobrenome simplesmente para se distinguir e evitar uma confusão potencial com seu irmão, Dwayne Wiggins. Como ele confirmou ao dizer ao renomado escritor de R & B Pete Lewis sobre o premiado Blues & Soul em maio de 2009, "Eu só queria ter minha própria identidade!" 

Em 1995, Saadiq teve seu maior hit solo até hoje, quando "Ask of You", na trilha sonora de Higher Learning, alcançou o 19º lugar na Billboard Hot 100 e # 2 na parada de R & B. Em 1995, Saadiq produziu e tocou no álbum de estréia de Otis & Shug , We Can Do Whatever .

Tony! Toni! Tom! se tornaria grandes estrelas do R & B ao longo dos anos 80 e 90. No entanto, após o álbum de 1996 intitulado House of Music não conseguiu duplicar o sucesso anterior do grupo, Tony! Toni! Tom! seguiram caminhos separados em 1997.

Em 1999, o próximo grande projeto da Saadiq tornou-se o supergrupo R & B Lucy Pearl . Ele gravou o álbum auto-intitulado com Dawn Robinson ( En Vogue ) e Ali Shaheed Muhammad ( A Tribe Chamado Quest ). O grupo durou apenas um álbum.






































Também em 1999, ele colaborou com o rapper Q-Tip no single " Get Involved ", da série de televisão animada The PJs . Ele mostra a música do The Intruders de 1973, " I'll Always Love My Mama ", e ficou em 21º lugar no Hot R & B / Hip-Hop Singles & Tracks. 

Sua colaboração de 2000 músicas " Untitled (How Does It Feel) " ganhou D'Angelo um Grammy Award de Melhor Performance Vocal de R & B Masculino ; também foi indicado ao Grammy Award de Melhor Canção de R & B. A música ficou em 4 º lugar na lista dos "Melhores Críticos e Leitores da End of Year", da Rolling Stone, dos primeiros singles de 2000. O álbum de D'Angelo, Voodoo, ganhou um Grammy de Melhor Álbum de R & B no Grammy Awards de 2001 .

Em 2002, Saadiq fundou sua própria gravadora, a Pookie Entertainment. Entre os artistas da gravadora estão Joi e Truth Hurts . Em 2002, ele lançou seu primeiro álbum solo Instant Vintage , que lhe rendeu cinco indicações ao Grammy . Ele lançou um álbum ao vivo de dois discos, All the Hits, no House of Blues, em 2003, e seu segundo álbum de estúdio, Ray Ray, em 2004, ambos na Pookie Entertainment.

Em 2004, Saadiq produziu um remix da música "Crooked Nigga Too" de Tupac Shakur, que aparece no álbum Loyal to the Game . Outros artistas com quem colaborou incluem Whitney Houston , Mary J. Blige , The Isley Brothers , A Tribe Called Quest , Teedra Moses , The Roots , Erykah Badu , Jill Scott , Macy Gray , Angie Stone , Snoop Dogg , MacDre , Devin. Cara , DJ Quik , Kelis , Q-Tip , Lil 'Skeeter , Ludacris , Os Bee Gees , Musiq Soulchild , Jaguar Wright , Chanté Moore , Lionel Richie , Marcus Miller , Noel Gourdin , Raízes de fraldas , Calvin Richardson , T-Boz from TLC Jody Watley , Floetry , Leela James , Amp Fiddler , John Legend , Joss Stone , Jovem Bellz, Anthony Hamilton , Babyface , Ledisi , Goapele , Ghostface Killah , - Ginuwine , O Grouch Stevie Maravilha , Terra, Vento & Fogo , Bilal , Chali 2na , Larry Graham ,  Luniz , assim como muitos outros. Em 2007, Saadiq produziu Introducing Joss Stone , o terceiro álbum do cantor de soul britânico Joss Stone . De acordo com J. Gabriel Boylan do New York Observer , "ele produziu artistas como Macy Gray, Roots, D'Angelo, John Legend, Whitney Houston, Mary J. Blige e muito mais. Com todos eles, ele impulsionou uma estética clássica". pesado em sons orgânicos e luz na magia do estúdio, profundamente endividado com o passado e desconfiado de fórmulas fáceis. " 


























O terceiro álbum solo de Saadiq, The Way I See It , lançado na Columbia Records em 16 de setembro de 2008, disponível em um conjunto de 7 "45 rpm e CD tradicional, foi criticamente bem recebido, fez vários críticos "2008 melhores listas de álbuns, e recebeu três indicações ao Grammy, incluindo Melhor Performance R & B por um Duo ou Grupo com Vocais (para" Never Give You Up ", com Stevie Wonder & CJ Hilton); Melhor Performance Vocal R & B Tradicional (por" Love That Girl " ") e Melhor Álbum de R & B pela forma como eu o vejo . Música do Caminho I See It foi destaque nos seguintes filmes: Madea Vai Para a Cadeia , Guerra das Noivas , Cadillac Records , Vida Secreta das Abelhas , In Fighting (Rogue) , e é complicado .

Em turnê com uma banda de nove integrantes, Saadiq participou do circuito de festivais de verão com apresentações no Bonnaroo , Hollywood Bowl , Outside Lands , Pori Jazz , Stockholm Jazz Festival , North Sea Jazz , Essence Music Festival , Summer Spirit Festival e Nice Jazz Festival . Bumbershoot Music Festival e Austin City Limits . Saadiq esteve em turnê pela Europa extensivamente e realizou uma residência de cinco noites no House of Blues em Tóquio, Japão, em junho de 2009. Em 2008, Saadiq formou um novo selo chamado Velma Records, um lugar onde ele promete "as pessoas podem se expressar". como eu fiz com o The Way I See It ... onde eles podem sonhar com algo e apenas seguir com isso ". 

Ele produziu músicas para o próximo segundo álbum de LeToya Luckett , Lady Love , lançado em agosto de 2009. Em 2009, Saadiq produziu "Please Stay" e "Love Never Changes" para o lançamento de Ledisi em agosto de 2009 " Turn Me Loose ". Saadiq também foi o produtor executivo de um grupo emergente chamado Tha Boogie. O primeiro EP de Tha Boogie foi lançado no iTunes e é intitulado Love Tha Boogie, Vol. 1 (Roube este Sh * t) .

Em 2009, Saadiq anunciou sua empresa de desenvolvimento de videogames chamada IllFonic. O primeiro videogame em desenvolvimento da IllFonic é intitulado Ghetto Golf , com um esperado lançamento no final de 2010. Em 2009, Saadiq uniu Bentley Kyle Evans, Jeff Franklin, Martin Lawrence e Trenten Gumbs para criar uma nova sitcom chamada Love That Girl! estrelado por Tatyana Ali . Raphael é um produtor executivo e compositor de Love That Girl! . O show vai ao ar na TV One e estreou em 19 de janeiro de 2010. Naquele mesmo ano, Saadiq tocou o sucesso do The Spinners "It's a Shame" em um comercial lendário de Levi e cantou como parte do refrão de 2010 de " We Are the World". "para o Haiti.













Em 2011, Saadiq foi o guitarrista / líder de banda do grupo que apoiou Mick Jagger para o tributo de Jagger ao clássico do Solomon Burke R & B, " Everybody Needs Somebody to Love " no 53º Grammy Awards em Los Angeles e na CBS. A banda que acompanhou a performance foi a banda de turnê de Saadiq chamada Stone Rollin. Em 2011 ele e sua banda se apresentaram como a banda da casa do ESPY para a noite, onde ele apresentou suas últimas composições.

O álbum de 2011 de Saadiq, Stone Rollin ', foi lançado com grande aclamação da crítica. "Ele sempre teve um entusiasmo juvenil por tocar, e uma voz flexível e naturalmente alegre que sugere um jovem Stevie Wonder ", escreveu Greg Kot do Chicago Tribune , "mas com seu último álbum, Saadiq encontra um novo O álbum e sua turnê atual demonstram que há uma grande diferença entre o retrô e o clássico, e o artista se encontra consistentemente do lado direito da divisão. " Kot classificou o álbum número sete em sua lista de fim de ano, na qual ele apelidou de "o melhor feito de Saadiq" e declarou: "Ele sempre escreveu músicas com soul e R & B, mas agora ele dá uma vantagem progressiva em roaming". linhas de baixo e texturas de teclado assombradas. Ele não é mais um estilista retrô - ele está escrevendo novos clássicos ". O crítico Jim Derogatis chamou-lhe "um gás frio de pedra de um disco de festa". 

No outono de 2011, ele se apresentou no quarto show de resultados de Dancing with the Stars temporada 13 . Em dezembro de 2011, ele realizou uma coletânea de várias músicas de Neil Diamond na cerimônia de premiação do Kennedy Center Honors.

Em 2012, ele assinou um contrato com a Toyota para fazer um comercial de TV para o Toyota Prius . Em 2013, Raphael fez uma parceria com a produtora de Bay Area / Atlanta EL Seven Entertainment / Republic Records e com o novo superstar R & B, Adrian Marcel, e lançou sua primeira mixtape promocional "Raphael Saadiq apresenta Adrian Marcel 7 Days of Weak".

Saadiq é um baixista em destaque no álbum de 2013 de Elton John , The Diving Board .












Em 2016, ele produziu o álbum de Solange Knowles , A Seat At The Table, que estreou em primeiro lugar nas paradas musicais nos Estados Unidos. Ele também estrelou em Luke Cage , onde ele executa suas músicas "Good Man" e "Angel" no Harlem's Paradise.

Em 2017, ele apareceu no premiado documentário The American Epic Sessions , dirigido por Bernard MacMahon , onde gravou a música de 1928 da banda Memphis Jug Band, “ Stealin 'Stealin' ” ao vivo no primeiro sistema de gravação de som elétrico restaurado. 1920s. De gravação no sistema, ele disse: "é incrível apenas olhar como é construído, você sabe basta olhar para a própria máquina. Só tem esse som mágico do jeito que é construído. É verdade. É apenas o som mais verdadeiro que você poderia ter. ” 

Discografia 

Instant Vintage (2002)























All Hits at the House of Blues (2003)





















Ray Ray (2004)
























The Way I See It (2008)
























Stone Rollin' (2011)